Ama-me!




Não deixes de o fazer antes que se acabe o mundo.
Eu estarei aqui, à tua espera entre os espinhos das rosas,
entre as urtigas que difundem as sementes ao vento,
entre os corações destroçados de amantes sonhadores
entre os mares sem sal e as lágrimas deliciosas.

Porque eu sou assim: espinho semente, coração, mar e lágrima.
Facetas que abrigam a minha saudade e me transformam num ser humano

(Só que eu gostaria de ter sido uma mata peregrina...)

Tradução: Fernando Oliveira, do original em espanhol, Ámame, de Inma Arrabal

http://siliceamni.blogspot.com/

4 comentários:

FANNY JEM WONG disse...

Porque eu sou assim: espinho semente, coração, mar e lágrima.
Facetas que abrigam a minha saudade e me transformam num ser humano

Sentidas letras
GRATO LEERLAS
BESOS
JEM WONG

Sílice disse...

Ver aquí este poema es un honor para mí. Gracias de nuevo, Fernando.
Un abrazo,

Inma

fernando oliveira disse...

Obrigado JEM o mérito é todo da autora, Inma.

fernando oliveira disse...

De nada Inma foi um prazer, é uma disciplina que me agrada trabalhar.